top of page

Tendências de virar para a esquerda (Parte I) 🥴⬅

Já sentiram aquela tendência da aeronave querer realizar o movimento de guinada para a esquerda após uma decolagem (alto ângulo de ataque) e/ou desviar para o lado esquerdo durante a corrida de decolagem?

Esses resultados são frutos de 4 principais fatores aerodinâmicos chamados, Torque Effect (Efeito Torque), P-Factor (Fator-P), Spiralling Slipstream (Efeito saca-rolhas) e Gyroscopic Precession (Precessão Giroscópica).


Vamos aprender sobre cada um deles e entender o que esperar quando isso ocorrer? É só encostar na nave.

Torque Effect (Efeito Torque)

Já repararam que a maioria dos aviões da aviação geral tem o giro da hélice no sentido horário? Reparem quando ligarem o Cessninha, Tupizinho, Corisquinho, etc.

Se temos a nossa hélice girando em sentido horário, então teremos uma força nesse mesmo sentido, porém... Lembram o que o nosso grande amigo Isaac Newton revelou para o mundo? "Para toda força existe uma reação contrária de mesma intensidade". Consequentemente, durante a corrida de decolagem, maior pressão será feita nas rodas do lado esquerdo da aeronave e, quando já estiver no ar, o avião tenderá a apresentar queda da asa esquerda. Para este efeito teremos que comandar os nossos ailerons.

Para hélices contra rotativas, esse efeito é cancelado.


P-Factor (Fator-P)

Neste caso é criado a asymmetric propeller loading (carregamento assimétrico da hélice) quando estamos com o ângulo de ataque elevado.

Levando em consideração a hélice trabalhando em sentido horário. Quando vemos as hélices trabalhando (visão de trás), podemos imaginar o lado direito da hélice em descida e com maior ângulo de ataque, ou seja, terá maior tração em relação a parte esquerda da hélice que estará com menor ângulo de ataque e consequentemente com menor tração.

Portanto, o avião terá a tendência em guinar para a esquerda. Para compensarmos este efeito, utilizaremos o leme.


44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page